ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
0
PERGUNTA / PARTILHA
170
INFORMAÇÃO
1462
EVENTO
30
VALÊNCIA
1421
SERVIÇO
4960
PRODUTO
19
CONSULTOR
88
P.S . Choro
INFORMAÇÃO
5 razões pelas quais é bom para si chorar
Prime Senior Editor
Por vezes, chorar é bom para si. Confira alguns benefícios do mesmo:
  • Alivia o stress
O stress crónico pode aumentar o risco de ataque cardíaco, danificar certas áreas do cérebro, contribuir para problemas digestivos como úlceras e causar dores de cabeça tensionais e enxaquecas, entre outros problemas de saúde. "A capacidade dos humanos de chorar tem valor de sobrevivência", enfatiza Frey. Quando se trata de técnicas de redução de stress para cuidadores familiares, o choro pode não ser tão eficaz quanto um tratamento de repouso, mas em circunstâncias terríveis, um bom choro pode proporcionar uma libertação temporária.
  • Diminui a pressão sanguínea
Verificou-se que o choro diminui a pressão sanguínea e a pulsação imediatamente após as sessões de terapia, durante as quais os pacientes choravam e exalavam. A pressão alta pode danificar o coração e os vasos sanguíneos e contribuir para um derrame, insuficiência cardíaca e até demência.
  • Remove toxinas
O choro realmente remove as toxinas do corpo. As lágrimas ajudam os seres humanos a eliminar hormonas do stress, como o cortisol, que se acumulam durante períodos de turbulência emocional e que podem causar estragos no corpo. Chorar é uma liberação física e emocional que ajuda os seres humanos a recomeçar “do zero”.
  • Reduz o manganês
O simples ato de chorar também reduz o nível de manganês do corpo, um mineral que afeta o humor e é encontrado em concentrações significativamente maiores nas lágrimas do que no soro sanguíneo. Níveis elevados de manganês podem estar associados a ansiedade, irritabilidade e agressão.
  • Abraça as suas emoções e humanidade
Enquanto os olhos de todos os mamíferos são humedecidos e acalmados pelas lágrimas, apenas os seres humanos libertam lágrimas em resposta ao stress emocional. Chorar ajuda a reconhecer os sentimentos que se está a experienciar, e as emoções motivam a ter empatia, coordenar e trabalhar juntos para sobreviver. De fato, o choro tem uma importante função social. Ele comunica a força e a natureza dos relacionamentos, suscita simpatia e até ajuda e aproxima os indivíduos.

Na próxima vez em que se sentir sobrecarregado e lutar contra as lágrimas, faça um favor a si mesmo e lembre-se desses pontos. Encontrar um lugar tranquilo para descomprimir ou um ombro de apoio para chorar, pode ser exatamente o que precisa.



|Fonte: Agingcare.com|
P.S. Idoso em casa
INFORMAÇÃO
Dicas para estender a independência de um idoso em casa
Prime Senior Editor
Incentivar o uso de checklist/ listas de verificação
As listas de verificação são um recurso valioso em qualquer idade. Eles são ainda mais importantes para aqueles que têm memórias “fragilizadas” e para aqueles que têm mentes tão cheias de outras informações que não conseguem lembrar-se de pequenas tarefas ou compromissos.

Se observar um padrão de pequenas tarefas incompletas ou negligenciadas todas as vezes que visitar a pessoa idosa, forneça-lhes uma lista de tarefas que podem manter a casa em bom estado. Talvez essas coisas tenham sido importantes para eles no passado, como regar plantas, gravar um programa de TV ou outras rotinas diárias que agora são facilmente esquecidas.

Mostre-lhes como marcar uma tarefa quando ela estiver concluída e peça para verem cada tarefa da lista antes da próxima. Isso não os lembra apenas de lavar a roupa, limpar o pó e a loiça, também traz as suas limitações à superfície e ajuda a acompanhar as mudanças graduais nas suas habilidades ao longo do tempo.

Na plataforma primesenior.com encontra uma grande variedade de listas de verificação, com objetivos vários.

Fornecer o equipamento necessário

Há uma grande variedade de utensílios domésticos disponíveis para facilitar a vida da população sénior. Informe-se sobre o que o idoso considera serem as suas restrições e pesquise o que está disponível para o ajudar a contornar essas mesmas limitações. É importante manter uma perspetiva realista e não tirar conclusões precipitadas. Como família, eles confiam e querem que essa ajuda mantenha a sua independência na sua própria casa, pelo maior tempo possível.

Recursos úteis para a vida diária que podem ajudar um idoso a cuidar da sua casa incluem ferramentas, maçanetas, puxadores de torneiras, controles remotos, relógios e telefones com números grandes para facilitar a visibilidade, entre outros. Pode encontrar alguns produtos na loja PrimeSenior, na plataforma primesenior.com. Caso necessite de ajuda para escolher o produto mais indicado, use o formulário de contato disponível.

Fazer visitas regularmente
Se um idoso não estiver a lidar particularmente bem, com a sua falta de habilidades, o problema deverá ser resolvido rapidamente e com a devida consciencialização. Tente visitá-lo sempre que a sua agenda permitir e não deixe espaço demais entre as visitas. Se visitar uma hora todas as manhãs e uma hora todas as noites, quaisquer problemas serão facilmente percebidos, em vez de fazer uma visita de 6h duas vezes por semana. Visitas muito afastadas também abrem a possibilidade de situações mais graves não serem resolvidas, como queda, ferimentos, reparos domésticos urgentes, etc.

Envolver os vizinhos
É provável que descubra que os jovens da sua vizinhança ficarão felizes em ajudar nas tarefas básicas ou, pelo menos, ficar de olho na casa à distância. O problema é que muitas pessoas mais velhas não se relacionam muito com os seus vizinhos mais jovens e vice-versa, deixando esses membros da comunidade sem ideia de que alguém poderia precisar do seu apoio. Um simples pedido de ajuda ao fornecer informações de contato aos vizinhos, pode impedir uma situação potencialmente perigosa e que pode passar despercebida.

Em nome deles, visite um vizinho mais jovem e apresente-lhe a situação. Não peça ao vizinho que faça tarefas domésticas. Em vez disso, pergunte se ele cuidará da pessoa em causa, quando for lhe for conveniente.

Considerar a ajuda profissional
Se uma pessoa idosa tiver condições para se manter na sua habitação, a contratação de um cuidador ou empresa de apoio domiciliário pode permitir que eles aproveitem a vida em casa com menos responsabilidade.

A contratação de um cuidador profissional em casa pode reduzir a pressão, enquanto ajuda os idosos a manter a sua independência.

Lembre-se de considerar as circunstâncias únicas e individuais à medida que a necessidade de assistência aumenta. Haverá um momento em que é provável que sejam necessários arranjos alternativos para o benefício de todos os envolvidos. Até lá, permita que eles mantenham o máximo de liberdade possível na sua própria casa.



|Fonte: Agingcare.com|
P.S. Atividades
INFORMAÇÃO
5 exercícios de equilíbrio fáceis para idosos que usam andarilho
Prime Senior Editor
Porque os idosos que usam um andarilho precisam de exercícios de equilíbrio?
Os idosos que usam um andarilho estão a receber ajuda para se equilibrar, mas isso não significa
que não estejam vulneráveis a quedas.

Existe histórico de quedas em idosos que fazem uso do andarilho! Isto acontece porque os idosos não foram devidamente treinados para usar o seu auxílio de mobilidade, mas também porque eles já correm, por si só, um risco maior de quedas (e é por isso que precisam de um auxílio à mobilidade em primeiro lugar).

Daí ser é tão importante que os idosos se exercitem, regularmente, para melhorar o equilíbrio e a estabilidade. E, usando um andarilho devidamente seguro como auxílio, os idosos recebem o apoio necessário para permanecerem seguros durante o exercício.

Segurança primeiro! Evitar quedas durante o exercício
A última coisa que alguém quer é que a pessoa caia ou se magoe enquanto se exercita.

Para suporte e segurança, mantenha-se próximo e esteja pronto para apoiar a pessoa idosa - seja extremamente cauteloso nas primeiras vezes em que tentarem realizar esses exercícios.

Tenha uma cadeira resistente por perto e faça com que se sentem e façam pausas quando se sentirem cansados. Eles devem estar conscientes que não devem fazer nenhum exercício que cause dor.

Se a pessoa idosa for especialmente frágil ou trêmula, use um cinto de marcha para maior segurança.

Incentive-os a continuar a fazer os exercícios consigo ao lado deles - eles ganharão força ao longo do tempo.

Um guia passo a passo para realizar 5 exercícios de equilíbrio em casa
Em todos os exercícios, a pessoa idosa deve ficar com o seu andarilho, devidamente firme nas mãos.

No caso de andarilhos com rodas, para que não deslizem, posicione-os contra uma parede, sofá ou barreira similarmente forte, para impedir que se movam durante os exercícios.

Além disso, coloque uma cadeira resistente e antiderrapante diretamente atrás da pessoa idosa, caso ela se canse ou perca o equilíbrio e subitamente precise de se sentar, ter o apoio necessário.

  • Exercício 1
Marchar no local, levantando os joelhos o mais alto possível. Repetir 10x em cada perna.,

  • Exercício 2
Levantar uma perna para o lado, com a mesma esticada, usando um movimento lento e controlado. Fazer 10 elevações em cada perna, e um lado de cada vez.

  • Exercício 3
Levantar uma perna para trás, com a mesma esticada (como se fosse dar um pontapé numa bola). Fazer 10 elevações em cada perna, e uma perna de cada vez.

Atenção à cadeira que suporte, que neste exercício pode ter que ser mudada de sítio.

  • Exercício 4
Ficar em pé com os pés afastados na largura dos ombros. Lentamente, fazer um pequeno agachamento, tendo cuidado para não ficar muito baixo, principalmente no começo. Fazer 10 agachamentos.

À medida que a força do corpo diminui com o tempo e esse exercício fica mais fácil, aumentar lentamente a profundidade do agachamento.

  • Exercício 5
Em pé, levantar os calcanhares para ficar sobre a ponta dos pés. Depois, baixar os calcanhares para retornar os pés a uma posição "plana".

Em seguida, fazer o inverso – ficar sobre os calcanhares e levantar a parte da frente dos pés.

Repetir 10 vezes cada.

A prática é mais importante que a perfeição!
Mesmo que a pessoa idosa não consiga fazer os exercícios perfeitamente ou não consiga realizar todas as 10 repetições, continue incentivando a fazer o melhor possível e a se exercitar regularmente.

À medida que o idoso ganha força e equilíbrio ao longo do tempo, ele pode fazer mais e melhor.



|Fonte: Dailycaring.com|
P.S. Demência
INFORMAÇÃO
O MMSE - Mini Mental State Examination é apenas um primeiro passo
Prime Senior Editor
O MMSE não capta todos os sintomas de demência.
O MMSE não pode ser usado sozinho para diagnosticar a demência, porque a maioria das perguntas testa apenas a memória e a recordação.

Alguém que sabe que dia é hoje, que objeto é esse ou que se se lembra de uma pequena lista de coisas aleatórias pode sair-se bem no teste.

Mas isso não significa que não tem demência. Alguns tipos, como a demência de corpos de Lewy, afetam muito mais o julgamento do que a memória.

Alguns sintomas de demência que o MMSE não deteta incluem:
  • Entrega gratuita de informações da conta bancária a estranhos;
  • De repente, gastar dinheiro como um “louco” quando a pessoa sempre foi poupada;
  • Tomar decisões “malucas” de investimento quando sempre foram investidores conservadores.

Os resultados do MMSE não fornecem informações suficientes para um diagnóstico preciso

Como cuidador, é importante saber que simplesmente não é possível obter um diagnóstico preciso de demência com apenas uma visita ao consultório médico.

Um exame físico básico e a triagem do MMSE não fornece informações suficientes para “declarar” um caso de Alzheimer e prescrever medicamentos.

Tirar conclusões precipitadas pode levar o idoso a receber tratamento errado, o que pode ser prejudicial à sua saúde. Por exemplo:
  • Os sintomas semelhantes à demência podem ser causados por uma condição médica tratável, como doença cardíaca, deficiência de vitamina ou insuficiência renal;
  • Os sintomas podem ser causados por um efeito colateral da medicação ou interação medicamentosa;
  • Eles podem ter sinais de depressão ou outro problema psiquiátrico,
  • Mesmo se a pessoa idosa tiver uma forma de demência, como o médico saberia se tem demência vascular ou Alzheimer ou outro tipo? Diferentes tipos de demência podem exigir tratamentos diferentes.



|Fonte: Dailycaring.com|
P.S. Diagn´pstico precoce
INFORMAÇÃO
5 benefícios de um diagnóstico precoce de demência
Prime Senior Editor
5 benefícios de um diagnóstico precoce de demência

1. Pode não ser demência.
Sinais de memória ou problemas cognitivos nem sempre significam que alguém tem demência.

Existem muitas condições de saúde tratáveis que causam sintomas semelhantes a demência, como infeção do trato urinário (ITU), hidrocefalia por pressão normal, delírio ou efeitos colaterais dos medicamentos.

Se a pessoa idosa não for ao médico para um exame físico completo, não saberá o que está a causar os sintomas e não receberá a ajuda de que precisa.

2. Maximizar os benefícios dos tratamentos disponíveis.
Um diagnóstico precoce da doença de Alzheimer ou a deteção de demência significa que o tratamento pode começar imediatamente.

Medicamentos e mudanças no estilo de vida geralmente são mais eficazes nas fases iniciais e podem reduzir ou retardar o aparecimento de sintomas mais graves.

3. Ter tempo para planear o futuro.
Obter um diagnóstico específico dá à pessoa idosa o controlo sobre o seu próprio futuro.

Caso ainda tenham boa função cognitiva, podem tomar decisões importantes sobre os seus futuros cuidados e finanças, bem como, escolher alguém para ser o seu “tutor”.

Eles também poderão partilhar os seus desejos de fim de vida. Dessa forma, todos os envolventes não terão que adivinhar, nem se preocupar a discutir sobre o que acham que eles queriam quando chegar a hora.

4. Realizar sonhos antes que os sintomas se tornem muito graves
Com um diagnóstico precoce demência, os idosos ainda terão tempo para trabalhar a sua "lista de desejos", realizando sonhos enquanto ainda podem.

5. Obter suporte e recursos
Quando não sabe o que está a causar comportamentos e sintomas preocupantes, é difícil encontrar suporte e recursos para lidar com o que está a acontecer.

Com um diagnóstico específico, poderá encontrar as informações necessárias para entender e gerir os desafios do dia a dia.



|Fonte: Dailycaring.com|
P.S. Medicação
INFORMAÇÃO
Como prevenir problemas relacionados com medicamentos em idosos?
Prime Senior Editor
Porque os problemas e custos relacionados com os medicamentos estão a aumentar?
A resposta a esta pergunta não é simples - há muitas razões. A nossa nação está a envelhecer rapidamente e a expectativa de vida tem aumentado constantemente. Hoje, a maioria dos idosos está a esforçar-se para manter a sua independência nas suas próprias casas. Comparados aos idosos que residem em instituições de longa duração, que são supervisionados de perto, esses idosos “independentes” geralmente são mais difíceis de monitorar minuciosamente quanto a problemas de medicação.

Os medicamentos e a maneira como os usamos mudaram consideravelmente ao longo dos anos. Não são apenas os medicamentos que tomamos muito mais complexos, mas o nosso consumo também está a aumentar. A polifarmácia (o uso simultâneo de vários medicamentos por um único paciente) é especialmente comum em idosos com uma ou mais condições crónicas. Essas condições de saúde e os medicamentos prescritos para tratá-los têm efeitos muito complicados no corpo humano. Pesquisadores da Faculdade de Farmácia da Universidade Estadual de Ohio descobriram que as chances de um paciente sofrer um problema relacionado os medicamentos aumentou em 10%, com a adição de um medicamento crónico ao seu regime. Além disso, é importante lembrar que medicamentos de venda livre, suplementos alimentares, vitaminas, minerais, produtos à base de plantas e até mesmo os alimentos e bebidas que consumimos também afetam o modo como os produtos químicos funcionam no corpo.

Também falta educação sobre os problemas relacionados os medicamentos entre os consumidores e o público. Educar-se sobre os medicamentos que toma, tomá-los como indicado e comunicar-se abertamente com os profissionais de saúde sobre as preocupações, são as melhores maneiras de prevenir problemas relacionados com os medicamentos.

Compreender o que causa problemas relacionados com a medicação
Cada medicamento opera de maneira diferente no corpo, mas é importante entender que a eficácia de qualquer medicamento pode ser alterada por qualquer um dos seguintes fatores:

  • Como o medicamento é administrado (por via oral, intravenosa, tópica etc.);
  • Quando o medicamento é tomado (especialmente em relação a outras doses e refeições);
  • Se um medicamento é tomado com ou sem alimentos ou líquidos (isso pode afetar a absorção e os efeitos colaterais);
  • Que outros medicamentos prescritos, medicamentos sem receita médica, vitaminas e suplementos estão a ser tomados;
  • A composição corporal do paciente (diferentes proporções de tecido adiposo e tecido magro afetam a distribuição, o metabolismo e a libertação de medicamentos);
  • A hidratação pode afetar a absorção no estômago e alterar os níveis de medicamentos terapêuticos no sangue;
  • Problemas digestivos podem mudar a rapidez com que um medicamento se move pelo estômago e intestinos e afetar os níveis de medicamentos terapêuticos;
  • A função renal afeta os níveis terapêuticos dos medicamentos, bem como a eliminação de alguns medicamentos;
  • A função hepática afeta os níveis terapêuticos dos medicamentos, bem como a eliminação de alguns medicamentos;
  • A composição genética de um paciente pode levá-lo a responder aos tratamentos de maneira diferente;
  • As condições relacionadas à idade e as alterações no corpo podem afetar a forma como os medicamentos são metabolizados, bem como o tipo e a gravidade dos efeitos colaterais que um paciente experimenta.

Como evitar problemas relacionados com os medicamentos?
  • Faça perguntas sobre cada medicamento. Verifique se as informações vêm de uma fonte confiável, como um médico ou farmacêutico;
  • Verifique se todos os profissionais de saúde têm uma lista atual de TODOS os medicamentos, vitaminas e suplementos alimentares que a pessoa está a tomar;.
  • Use todos os medicamentos conforme indicado de forma consistente. Dispositivos organizacionais, como caixas de comprimidos e lembretes de medicamentos, podem ajudar as pessoas a manter os seus regimes, especialmente os mais complexos;
  • Documente todos os sintomas e resolva-os com um profissional de saúde. Suponha que quaisquer novas alterações sejam um efeito colateral da medicação até prova em contrário.


Pacientes e cuidadores são a defesa de primeira linha na prevenção e tratamento de problemas relacionados com os medicamentos. A gestão responsável de medicamentos é um grande passo para lidar com os custos crescentes dos cuidados de saúde, ajudando os idosos a permanecerem mais saudáveis e independentes e minimizando a carga exercida sobre os cuidadores familiares.


|Fonte: Agingcare.com|
P.S. Apoio Domiciliário
INFORMAÇÃO
Os benefícios do apoio domiciliário em idosos com demência
Prime Senior Editor
Cuidados com a demência em ambiente familiar
O maior valor que o apoio domiciliário oferece, é que ele permite que os idosos permaneçam nas suas próprias casas pelo maior tempo possível. Essa opção é muito menos desorientadora para um paciente com demência do que a mudança para uma instituição de apoio a idosos.

Ambientes familiares oferecem muita segurança e tranquilidade para indivíduos com demência. Se os prestadores de cuidados são bem (in) formados em cuidados com demência, os cuidados em casa podem ser o ponto de partida ideal para famílias que precisam de ajuda extra com os seus entes queridos, mas desejam impedir ou atrasar os cuidados fora das suas habitações.

A importância das rotinas em idosos com demência
Assim como o ambiente familiar é seguro e relaxante, o mesmo pode ser dito para as rotinas diárias. Manter um cronograma semelhante ao seguido para uma pré-demência em idosos pode ajudar a reduzir a ansiedade e a confusão. Por exemplo, um idoso que assistiu ao noticiário pós o jantar todas as noites, durante anos, pode sentir uma sensação de normalidade continuando a ver, mesmo que não entenda completamente o que está a ver e ouvir.

Um aspeto fundamental do apoio domiciliário é que os serviços são prestados a todos os clientes (com e sem demência) de acordo com as ferramentas de agendamento personalizadas chamadas de planos de cuidados. Essa técnica organizacional traduz-se facilmente numa rotina definida para pacientes com demência que prosperam com a familiaridade e a repetição. Cuidadores profissionais são treinados para facilitar as atividades diárias, incluindo tarefas domésticas e tarefas de cuidados pessoais, nos momentos apropriados e fornecer assistência conforme necessário. Os seres humanos são criaturas de hábitos e preservar essas rotinas muito pessoais e profundamente enraizadas pode ajudar os idosos a manter um senso de controlo e compreensão do que está a acontecer ao seu redor.

Treinamento especializado em cuidados com demência
As empresas de apoio domiciliário prestam assistência em atividades da vida diária (AVDs), companhia e muitos outros serviços essenciais. Além disso, muitas empresas oferecem formação profissional para os cuidados na demência aos seus funcionários. Aspectos comuns dessa formação incluem métodos para manter o envolvimento com o idoso, gerindo comportamentos imprevisíveis por meio de validação e redirecionamento, como comunicar de forma eficaz e como dividir as atividades em etapas menores e fáceis de gerir. Existem várias formações quando se trata de cuidados com demência, portanto, não deixe de perguntar sobre o tipo de formação que uma empresa de apoio domiciliário oferece ou exige aos seus cuidadores.

O treinamento em segurança também faz parte da formação inicial e contínua dos profissionais dos cuidados, uma vez que idosos com demência podem estar propensos a errantes e outros comportamentos de risco. Um estudo de 2013 publicado no Journal of the American Geriatrics Society descobriu que 90% das pessoas não residentes em instituições e com demência tinham necessidades de segurança não atendidas, principalmente para avaliações de como gerir o risco de queda e de vaguear em segurança em casa. Maior supervisão e assistência de cuidadores informais e formais são componentes cruciais para ajudar os idosos a estarem em segurança enquanto continuam nas suas próprias casas.

Atividades significativas para idosos com demência
O conhecimento dos aspetos clínicos da demência permite que os profissionais atendam melhor aos seus clientes e enriquecem as suas vidas com atividades e interações sociais. Cuidadores preceptivos podem proporcionar um ambiente positivo para idosos com demência, aprendendo sobre os interesses de um idoso antes de desenvolverem a doença e adaptando a maneira como eles se envolvem nesses hobbies significativos, tanto em casa quanto na comunidade. Por exemplo, se o golfe é algo que um idoso gostava, eles podem visitar um campo de golfe para passear ou assistir outras pessoas a jogar.

A estimulação sensorial é outro componente crucial do tratamento da demência, especialmente nas fases posteriores do comprometimento cognitivo. Estudos mostram que a participação em musicoterapia, dança ou outros meios criativos tem um efeito positivo na saúde mental, saúde física e funcionamento social de idosos. Um cuidador experiente trabalhará para envolver os clientes nas atividades, mesmo que os seus interesses e habilidades mudem.

O cuidado evolui com o cliente
O apoio domiciliário pode ser personalizado para fornecer a assistência necessária à família, e as alterações podem ser feitas quantas vezes forem necessárias. Os serviços podem ser de natureza não qualificada (serviços de acompanhantes e donas de casa) ou de natureza qualificada (cuidados pessoais e de enfermagem) e podem ser fornecidos ocasionalmente para descanso, 24 horas por dia ou em qualquer outro local. Essa flexibilidade é uma vantagem significativa para cuidadores e idosos que estão a lidar com doenças progressivas, como a demência. À medida que a condição de um idoso diminui, os profissionais oferecem a adaptabilidade necessária para cuidar de um indivíduo com demência.

Quando o apoio domiciliário não é mais suficiente
Os serviços de apoio domiciliário pode ajudar os idosos com demência a adiar a mudança para os cuidados de longo prazo, mas as suas necessidades crescentes eventualmente exigirão níveis mais altos de atendimento e supervisão 24 horas por dia. Sem uma equipa robusta de cuidadores informais para partilhar a assistência, torna-se necessário procurar ajuda noutro lugar. Embora seja possível receber esses serviços em casa, o custo dos cuidados domiciliários 24 horas por dia, 7 dias por semana, é muitas vezes demais para a família pagar, principalmente a longo prazo.

O tempo para pensar numa mudança para uma instituição é diferente para todos. A decisão depende se os membros da família e os prestadores de cuidados contratados podem continuar a lidar com as mudanças na condição do idoso em casa. Uma empresa competente de atendimento domiciliário monitorará de perto a sua capacidade de oferecer o melhor atendimento para os seus clientes. Caso as necessidades de um cliente superem o que é anotado no seu plano de assistência atual, a empresa informará à família que são necessários serviços adicionais ou uma alteração na configuração.



|Fonte: Agingcare.com|