ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
INFORMAÇÃO
1113
CONSULTOR
86
TÉCNICO AUXILIAR
226
EQUIPAMENTO SOCIAL
1412
SERVIÇO
4731
PRODUTO
9
EVENTO
25
7 Dicas para gerir, com segurança, a disfagia em casa
A dificuldade para engolir, geralmente, é um problema sério para alguns idosos. Esta dificuldade, normalmente, é causada por uma condição chamada disfagia, que pode causar desnutrição, desidratação ou pneumonia por aspiração. Estima-se que esta condição afete 15% dos idosos e normalmente resulta do enfraquecimento dos músculos da boca e da garganta.

A disfagia pode ser causada pelo próprio processo de envelhecimento ou por doenças como a esclerose múltipla, cancro, ou Alzheimer, ou derrames.

Quando se trata de cuidar de alguém com disfagia, há sete pontos importantes a se ter em consideração.



INFORMAÇÃO
PS_Alimentar Idoso

1. Medicação - se a pessoa idosa costumava tomar os medicamentos orais com água ou outro líquido, agora precisa de os tomar com algo mais espesso, ou os comprimidos necessitam de ser esmagados e misturadas com um alimento mais espesso.

Os comprimidos, geralmente, têm um gosto bastante desagradável, portanto, usando chocolate, maçã ou algo mais doce que ajude a "mascarar" os maus sabores é sempre uma boa ideia.

Dica: alguns comprimidos são rotuladas como "não possíveis de ser esmagados", por isso fale sempre com o profissional de saúde sobre os medicamentos que a pessoa idosa está a tomar, bem como, se os mesmos podem ser esmagados ou se é possível misturá-los com algo específico. Em alguns casos, e quando possível, optar por xaropes é a melhor opção.

2. Palhas: dependendo da condição da pessoa com disfagia, o uso de palhas pode ser uma má escolha. Para alguém que tem problemas em engolir, usar uma palha pode parecer uma ajuda útil, mas estas são mais propensas a aumentar a quantidade de líquidos na boca. Com os músculos enfraquecidos pode levar a asfixia.

3. Hidratação: a hidratação é fundamental em qualquer idade, mas após um diagnóstico de disfagia, tudo o que são líquidos devem de ser espessados. Beber líquidos espessados ​​leva mais tempo do que beber líquidos sem espessamento, portanto nestes casos, manter a hidratação requer mais tempo e paciência.

4. Gelados e gelatinas - gelados e gelatinas parecem sobremesas básicas para pessoas mais velhas, mas quando se trata de prevenir a aspiração numa dieta disfágica, são dois alimentos desaconselhados. Tanto o gelado como a gelatina podem derreter na boca e transformarem-se num líquido fino que, quando ingerido, pode causar aspiração.

5. Nutrição - para muitas pessoas com disfagia, obter calorias suficientes, bem como vitaminas e minerais, torna-se um grande desafio. De modo a prevenir situações menos desejáveis, por carência de nutrientes, é aconselhado consultar um profissional com conhecimentos específicos, para que seja elaborado um plano nutricional adequado e ajustado às necessidades e condição da pessoa em causa.

6. Postura - é essencial que as pessoas com disfagia permaneçam em pé quando se alimentam. Isso facilita a chegada dos alimentos ao estômago. No caso da pessoa idosa estar confinada a uma cama, a uma cadeira de rodas ou passar muito tempo sentada, é importante que, aquando das refeições, se faça um ajuste nas costas e se contribua para que mantenham a cabeça erguida.

7. Timing - para pessoas com disfagia e doenças crónicas, a fadiga extrema e fraqueza podem fazer com que comer por mais de 15 minutos seja simplesmente exaustivo. Quanto mais cansada a pessoa estiver, mais difícil será engolir. Nestes casos pode ser recomendado que comam e bebam por curtos períodos de tempo, mas várias vezes ao longo do dia.

Não saber cuidar de alguém com disfagia pode levar a situações complicadas, portanto, é crucial que os cuidadores de formem e informem sobre o tema e tirem todas as dúvidas, com pessoas com conhecimentos para tal.



|Fonte: Dailycaring|
partilhar

Autor / responsável técnico / fornecedor
Prime Senior Editor
Categorias
Cuidados em fim de vida | Cuidado a idosos | Cuidados temporários | Cuidados permanentes | Cuidados a idosos com demência | Demência | Dependência | Envelhecimento | Envelhecer em Casa | Cuidador informal | Cuidador formal ou profissional | Cuidador "Sanduíche" | Cuidados de saúde | Gerontologia | Idosos