ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
INFORMAÇÃO
1048
CONSULTOR
87
TÉCNICO AUXILIAR
EQUIPAMENTO SOCIAL
1417
SERVIÇO
4958
PRODUTO
11
EVENTO
27
9 Maneiras de reduzir a raiva na demência
Idosos com demência podem facilmente ficar frustrados e stressados- às vezes ficam irritados com a queda de um simples chapéu.

O mais provável é que, de repente, atinjam um ponto de rutura devido às frustrações acumuladas nas tarefas quotidianas.

Para reduzir esses surtos de "raiva de Alzheimer", é importante diminuir o stress e os sentimentos de sobrecarga.


INFORMAÇÃO
P.S. Raiva

Raiva e demência
Quando alguém tem demência a sua capacidade de “funcionar bem” está comprometida. Tarefas que consideradas simples, como escovar os dentes, podem na verdade, ser bastante complexas para pessoa demenciadas - pode ser difícil lembrar de todas as etapas e sequenciá-las adequadamente.

Por exemplo, as principais etapas necessárias para escovar os dentes são:
  • Ir para a casa de banho correta (aquela que tem a sua escova de dentes);
  • Acender a luz (caso seja necessário;
  • Localizar a escova de dentes correta;
  • Localizar a pasta dentífrica;
  • Colocar a quantidade adequada de pasta de dentes na escova de dentes;
  • Colocar a escova de dentes (com pasta de dentes) na boca e escovar suavemente cada superfície dentária;
  • Cuspir a pasta de dente;
  • Lavar bem a boca com água.

Alguém com demência também pode ter problemas com as etapas menores que compõem muitas das etapas principais descritas.

Quando até as tarefas mais básicas do dia se tornam difíceis e complicadas, é fácil acumular frustrações o que pode causar uma explosão de raiva.

Por exemplo, quando tem um dia extremamente stressante, um simples pedido de alguém pode levar a que perca a paciência, é como se fosse a “última gota”. Isso é o que acontece com os idosos com demência. Como o mundo deles está a tornar-se mais confuso e difícil não é preciso muito para que eles alcancem esse sentimento de "última gota" e reajam com raiva.

9 maneiras de reduzir a raiva na demência

1. Aceite as suas limitações: evite levar os idosos com demência para além dos seus limites, esperando que eles façam coisas contra as quais lutam. Eles não se recusam a fazer coisas porque são preguiçosos ou porque se recusam a lembrar.

Os seus cérebros estão a falhar e eles estão a perder o conhecimento e as habilidades de que precisam para realizar essas “tarefas fáceis”. Aceite a sua condição atual e trabalhe com as habilidades que eles têm hoje.


2. Reduza as decisões complexas: fazer escolhas sobre cada parte do dia não é necessário, mas há algumas decisões que a pessoa idosa ainda pode (e deve) querer tomar.

O objetivo não é tirar o direito de escolher, mas sim simplificar para facilitar as escolhas - muitas opções de escolha tornam-se confusas e esmagadoras.

Por exemplo, quando o idoso for mudar de roupa, coloque todas as roupas que ele precisa, dando duas opções de escolha. Dar a escolher entre duas camisas - a camisa vermelha ou a camisa azul, por exemplo. Dessa forma, eles ainda participam do processo, mas não precisam de se sentir perdidos no meio de tanta roupa disponível.

Da mesma forma, para o almoço, pode oferecer uma escolha entre duas entradas que sabe que eles gostam - uma sanduíche de presunto ou sopa de ervilha, por exemplo. Essa decisão é muito mais fácil de responder do que uma pergunta ampla como "O que você quer para o almoço?"


3. Desacelere: estamos acostumados a mover-nos num ritmo "normal", mas isso acontece porque os nossos cérebros são totalmente funcionais e podem processar informações e pensamentos rapidamente.

Quando alguém tem demência, esses processos cognitivos diminuem significativamente. É por isso que o idoso precisa de muito mais tempo para pensar, falar ou agir. Para reduzir o stress e permitir que eles se sintam bem-sucedidos, não os apresse o dia-a-dia. Tire a pressão e deixe-os moverem-se ao seu próprio ritmo - mesmo que pareça muito lento.


4. Mantenha o ambiente calmo e tranquilo: estar num ambiente barulhento e movimentado pode sobrecarregar os sentidos e tornar difícil pensar, especialmente quando alguém tem demência.

Já percebeu que todos precisamos de calma e tranquilidade quando estamos a tentar pensar? A maioria dos estudantes procura lugares tranquilos, como bibliotecas, quando precisam aprender novos conceitos ou conceitos complexos.

Para alguém com demência, as tarefas do dia-a-dia tornaram-se difíceis e exigem pensamento e concentração extra. Quando existe algum ruído, é natural que elas se sintam frustrados e stressados.


5. Trate-os com respeito: todos, não importa a sua idade ou habilidades, querem ser tratados com respeito. Idosos com demência não são diferentes.

Mesmo se eles lutam com decisões ou tarefas quotidianas, há muitas maneiras de facilitar as coisas e, ao mesmo tempo, mostrar respeito.

Uma boa maneira de fazer isso é oferecer escolhas simplificadas, como a camisa vermelha ou azul mencionada anteriormente.

Dessa forma, não está a dar ordens e a esperar que elas as sigam. Está a ajudar o idoso a tomar decisões de uma maneira que se adapta às suas habilidades atuais.


6. Confie na rotina: as rotinas reduzem a quantidade de pensamento e o número de decisões que precisam de ser tomadas diariamente.

Por exemplo, não precisamos pensar em que horário vamos tomar o pequeno almoço, porque sempre comemos depois de nos levantarmos.

As rotinas são especialmente úteis para idosos com demência porque reduzem o número de coisas que precisam de se lembrar ou pensar.

Ter uma rotina constante é reconfortante e muito menos stressante do que se cada dia fosse imprevisível e eles tivessem que procurar a sua escova de dentes toda vez que precisam, por exemplo.

Colocar objetos nos mesmos lugares e fazer as mesmas atividades à mesma hora do dia, significa que eles sabem onde estão as coisas e o que vai acontecer.


7. Fale de forma clara e simples: a demência afeta a capacidade do cérebro em processar e recuperar informações. Frases curtas e diretas com apenas um pensamento por frase, são mais fáceis de entender.

O objetivo é dar aos idosos menos para pensar e menos para lembrar.

Usar poucas palavras e um tom calmo e positivo torna as coisas mais fáceis e menos frustrantes para eles.


8. Evite a fadiga: ficar exausto não é bom para o humor de ninguém, mas principalmente para um idoso demenciado.

Assim como está mais propenso a “explodir” quando está exausto, é mais provável que alguém com demência tenha uma explosão de raiva quando está cansado.


9. Ajude-os a serem bem-sucedidos: quando uma tarefa é muito difícil, pode tornar-se frustrante e stressante.

A resposta é não ter a pessoa idosa parada ou a fazer coisas para si. Isso só fará com que se sinta pior. Em vez disso, encontre maneiras de modificar as atividades para que elas sejam bem-sucedidas.

Por exemplo, se eles estiverem com problemas para cortar a carne, considere servir pratos onde a carne já está em pedaços menores ou comprar uma faca especializada que seja mais fácil de usar (ajudas técnicas). Se a pessoa idosa sente dificuldades para apertar as calças, considere mudar para calças de cintura elástica. Outra ideia é mudar para sapatos fáceis, caso tenham dificuldades para amarrar os cordões.



|Fonte: Dailycaring.com|
partilhar

Autor / responsável técnico / fornecedor
Prime Senior Editor
Categorias
Agressividade | Agitação | Raiva | Cuidados a idosos com demência | Cuidados | Cuidadores | Demência | Envelhecimento | Gerontologia | Idosos