ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
INFORMAÇÃO
1174
CONSULTOR
86
TÉCNICO AUXILIAR
230
EQUIPAMENTO SOCIAL
1415
SERVIÇO
4726
PRODUTO
10
EVENTO
27
9 Perguntas importantes quando se compra a medicação
Como os idosos, geralmente, tomam vários medicamentos, correm um maior risco de ocorrerem interações medicamentosas e efeitos colaterais negativos. Os farmacêuticos são especialistas em medicação que podem ajudar a minimizar esses riscos e manter os idosos o mais saudáveis possível.

De modo a ajudar a manter os idosos seguros, a nível da medicação, de seguida encontram-se 9 perguntas essenciais a serem feitas na farmácia, quando se adquirem os medicamentos.



INFORMAÇÃO
P.S. Medicação

1. Qual é o nome de marca e nome genérico do medicamento? O comprimido corresponde ao que o médico receitou? Se não, por quê?
Confirmar o nome do medicamento e se o médico solicitou o medicamento de marca ou medicação genérica ajuda a evitar erros de medicação.

2. Para que serve o medicamento? É para substituir algum?
Para muitos idosos, vários medicamentos podem ser necessários para melhor gerir a sua condição de saúde, ou mesmo para gerir os efeitos colaterais de um tratamento primário necessário.

Entender o que uma medicação deve tratar é essencial para garantir que a pessoa apenas toma os medicamentos que necessita no momento. Isso ajuda a reduzir a possibilidade de ocorrerem interações medicamentosas negativas e efeitos colaterais indesejados.

3. Existem medicamentos duplicados ou desnecessários?
Às vezes, ir a mais do que um médico faz com que os vários profissionais prescrevam o mesmo tipo de terapia, mas com uma medicação diferente – o que pode causar efeitos colaterais indesejáveis. Tal situação, é especialmente problemática com medicamentos para pressão arterial alta e antidepressivos.

Se o farmacêutico tiver conhecimento de todos os medicamentos que a pessoa toma, ele poderá confirmar e garantir que isso não acontece.

4. Como e quando o medicamento deve ser tomado?
Todas as instruções importantes devem ser claramente exibidas no rótulo da prescrição, mas perguntar ao farmacêutico ajuda a esclarecer qualquer coisa que esteja um pouco confusa e garante que a pessoa não sentirá falta dos detalhes principais.

Como cuidador, trata-se de uma informação essencial e que dá confiança para a organização das doses as diárias e planeamento de refeições.

5. O que se deve fazer se não tomar uma dose? E se tomar doses a mais?
Esta é uma questão importante para uma variedade de medicamentos, em que a pessoa pode adoecer por, acidentalmente, se esquecer de tomar ou tomar dose superior às indicadas.

Como cuidador, perguntar antecipadamente significa que saberá como responder caso ocorra um erro.

6. Quando é que o medicamento começa a atuar? Existe alguma coisa que se deva estar especialmente atento, como reações alérgicas ou efeitos colaterais?
Um farmacêutico que está ciente de todos os medicamentos que um paciente está a tomar pode apontar possíveis efeitos colaterais, como um aumento do risco de dores de estômago devido à combinação específica de tratamentos, por exemplo.

7. Deve-se evitar outros medicamentos, suplementos alimentares, alimentos ou atividades enquanto se estiver a tomar o medicamento?
Essa é uma informação importante que deve ser incluída no rótulo de prescrição, mas pedir ao farmacêutico ajuda para abordar os pontos mais relevantes poderá ser crucial.

8. Como a medicação deve ser armazenada?
Um local quente e húmido muitas vezes não é o melhor lugar para armazenar certos medicamentos. Perguntar ao farmacêutico sobre o armazenamento ajuda a manusear os medicamentos com segurança.

9. Os medicamentos são para tomar durante quanto tempo?
Alguns medicamentos destinam-se a uso a curto prazo para condições agudas, como antibióticos para tratar uma infeção ou analgésicos para um osso partidos ou recuperação pós-operatória.

Outros medicamentos, como os indicados para tratar a pressão artéria alta, diabetes ou colesterol, podem ser necessários para o resto da vida.

Certifique-se de entender quanto tempo cada medicação específica precisa ser tomada e quando deverá ser feita uma reavaliação.




|Fonte: DailyCaring.com|
partilhar

Autor / responsável técnico / fornecedor
Prime Senior Editor
Categorias
Cuidado a idosos | Cuidadores | Demência | Grau de dependência | Envelhecimento | Gerontologia | Idosos