ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
INFORMAÇÃO
1094
CONSULTOR
84
TÉCNICO AUXILIAR
221
EQUIPAMENTO SOCIAL
1409
SERVIÇO
4729
PRODUTO
7
EVENTO
22
Como a demência é diagnosticada?
A demência é o termo utilizado para descrever os sinais de um conjunto alargado de doenças, que produzem um declínio progressivo no funcionamento da pessoa. É um termo amplo que descreve a perda de memória, capacidade intelectual, raciocínio, competências sociais e alterações das reações emocionais normais.

A demência é uma doença comum na faixa etária dos mais velhos, mas cujos sintomas podem ser comuns a outro tipo de doenças. Para que não existam falhas na realização do diagnóstico, é importante que os sintomas sejam ligados à verdadeira causa e isso requer uma avaliação geral e continuada.


INFORMAÇÃO
PS_Médicos

Principais características da demência:
  • Dificuldade com um ou mais tipos de função mental, como aprendizagem, memória, linguagem, julgamento, (...);
  • Problemas que são uma mudança em comparação com as habilidades habituais da pessoa;
  • Problemas que dificultam a gestão das responsabilidades da vida quotidiana;
  • Problemas que não são causados ​​por outro transtorno mental, como depressão
Com é feito o diagnóstico de demência?
Os médicos geralmente têm em atenção 5 áreas de avaliação para diagnosticar se alguém tem demência. O médico precisa verificar cada área e documentar o que diagnostica. As áreas são:

1. Dificuldade com funções mentais - geralmente é avaliado com a combinação de um teste cognitivo, realizado em consultório, e com a descoberta de problemas do mundo real, através de conversas com o paciente e pessoas próximas a ele;

2. Declínio do nível das suas habilidades - pode ser mais difícil para um médico determinar, então eles precisam conversar com pessoas que conhecem bem o paciente para entender a diferença existente nas suas habilidades atuais, quando comparadas com tempos anteriores;

Por exemplo, se um ex-professor de matemática não não conseguir fazer cálculos básicos, isso significa que existe um declínio das suas habilidades atuais, quando comparadas com as habilidades em tempos anteriores.

3. Dificuldades na realização de AVD's - Atividades de Vida Diária - também pode ser difícil de ver imediatamente e em consultório. O médico perguntará sobre que tipos de ajuda a pessoa está a receber e quais problemas os familiares detetam.

4. Causas reversíveis de comprometimento cognitivo - certas condições podem causar sintomas temporários semelhantes aos da demência. O delírio pode induzir a um diagnóstico de demência, mas pode ser causado por doenças, infeções ou hospitalização e pode durar de semanas a meses.

Outros problemas médicos que interferem nas habilidades de pensamento incluem problemas de tiroide, deficiência de B12, depressão, abuso de substâncias psicotrópicas e efeitos colaterais de medicamentos.

5. Outros transtornos mentais - a depressão é um problema de saúde mental comum e pessoas idosas e às vezes pode ser confundido com sintomas de demência. Em alguns casos os idosos têm depressão e demência ao mesmo tempo.

Também é importante considerar o histórico de saúde mental da pessoa. Paranoia ou delírios podem estar relacionados a condições de saúde mental, como a esquizofrenia.

Demência não pode ser diagnosticada com apenas uma consulta...
As 5 áreas que um médico precisa de avaliar são complexas e exigem muita colheita de informações, bem como a realização de testes laboratoriais. Para que o diagnóstico de demência seja bem realizado, são precisas várias consultas e um diagnóstico constante. Só assim se irão diminuir as possibilidades de um falso diagnóstico de demência.

O que fazer se o médico diagnosticar demência em apenas 1 consulta?
Infelizmente, alguns médicos podem diagnosticar diagnóstico em apenas uma consulta e não documentam adequadamente o que levou a esse diagnóstico. Se isso acontecer, é conveniente que procure uma segunda opinião.

A realidade é que os sintomas possam significar demência, mesmo que o diagnóstico não esteja assente numa avaliação adequada. Mas também existe a possibilidade desses sintomas, em comum com a demência, serem causados ​​por outras condições de saúde reversíveis. Um diagnóstico preciso é essencial para o tratamento adequado.



|Fonte: Dailycaring.com|

partilhar

Autor / responsável técnico / fornecedor
Prime Senior Editor
Categorias
Cuidado a idosos | Cuidados a idosos com demência | Cuidadores | Demência | Dependência | Envelhecimento | Gerontologia | Idosos