ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
0
PERGUNTA / PARTILHA
166
INFORMAÇÃO
758
EVENTO
27
VALÊNCIA
1422
SERVIÇO
4958
PRODUTO
18
CONSULTOR
88
Como convencer um idoso a usar fralda geriátrica
A incontinência é uma condição embaraçosa e muitas vezes difícil aceitar e lidar. Muitos idosos tentam ignorar este novo desenvolvimento e continuar com as suas vidas, mas uma abordagem correta, geralmente, atrai mais atenção para o problema.

Felizmente, existem maneiras de incentivar um idoso a abordar essa questão, mas exigem paciência, compreensão e um compromisso de defender a dignidade do seu ente querido.


INFORMAÇÃO
P.S. Incontinência

"Os meus pais teimam em não usar fraldas e isso está a deixar-me louca!"

Esta é uma queixa comum em cuidadores cujos idosos sofrem de incontinência, no entanto, uma parte gritante desta frase destaca-se: o uso da palavra "fralda". A primeira coisa que os cuidadores devem fazer quando abordam este tópico sensível é pensar cuidadosamente sobre as suas escolhas de vocabulário. Os idosos, muitas vezes, se “revoltam” contra a palavra “fralda”. Esta palavra está, erroneamente, ligada a uma peça de roupa para um bebê ou criança que ainda não foi treinada para usar o WC.

Para dar um passo adiante, pense sobre isso. Se é uma mulher de meia-idade que teve filhos, provavelmente sofreu de incontinência por stress ocasional, o que significa que libertou um pouco de urina ao tossir, espirrar ou rir. Talvez tenha usado um penso por precaução. Como se sentiria se o seu marido ou amigo se referisse a essa pequena proteção como uma fralda?

As fraldas estão associadas aos bebés. Nenhum adulto, independente física ou mentalmente, deve ser tratado como se fosse um bebé. O envelhecimento e as condições relacionadas à idade já roubam aos idosos, grande parte de sua independência e dignidade. As escolhas de palavras e tom de voz podem não parecer tão importantes, mas comunicar e prestar cuidados de uma maneira que ajude os idosos a sentirem-se dignos é um fator de mudança, quando se trata de promover a cooperação e aumentar a sua autoestima.

Consulte um especialista
Claro que apenas alterar as palavras que usa não resolverá completamente o problema. Quando a incontinência se torna um problema ocasional, é importante que a pessoa consulte o médico. A incontinência pode ser causada por algo simples, como uma infeção do trato urinário, uma bexiga hiperativa, ou um problema subjacente mais sério, como problemas da próstata nos homens ou prolapso de órgão pélvico nas mulheres

Ao levar o idoso para resolver o problema. e após o teste para determinar o tipo de incontinência, o médico pode recomendar exercícios do assoalho pélvico, procedimentos cirúrgicos menores e até mesmo medicamentos que possam ajudar a controlar a incontinência e prevenir acidentes. Às vezes, uma segunda opinião de um urologista também é uma boa ideia.

Lidar com a negação
Se a cognição da pessoa idosa ainda está boa, e a pessoa prefere viver em negação sobre esse novo desenvolvimento, tente apelar para seu senso de vaidade. Afinal, a vaidade é o que mais mantém em negação sobre muitos problemas relacionados à idade. A nossa cultura é culpada do preconceito relacionado com a idade, na medida em que muitas pessoas vão a extremos para parecer como se estivessem a ganhar essa batalha perdida contra a natureza.

Certamente, a incontinência é muito difícil de aceitar. No entanto, se alguém puder convencer a pessoa idosa que é muito mais embaraçoso cheirar a urina, porque ignora o problema de incontinência do que usar proteção adequada, é fundamental. Prometa colaborar com eles para encontrar uma solução confortável, absorvente e discreta e que lhes permita manter a sua dignidade, ampliar a sua independência e melhorar a sua aparência. A incontinência frequente faz com que os idosos se aventurem menos para evitar situações embaraçosas, mas não precisa de ser assim.

Peça ajuda a uma terceira pessoa
Assim como em muitos outros problemas, a incontinência pode ser melhor abordada por um não familiar, como um amigo de confiança ou um médico. Porquê? Porque os idosos tendem a desacreditar ou desconsiderar as observações e sugestões da sua própria família, especialmente quando é proveniente de um filho.

Os nossos pais idosos mudaram-nos as fraldas quando eramos bebés. É difícil para eles lidar com o fato da Mãe Natureza ter “invertido os papeis”. Receber conselhos e orientações sobre “como lidar” com alguém que criou e que não tem experiência direta com o problema, muitas vezes é demais para encarar, então eles começam a ficar desdenhosos ou defensivos.

Pode ser menos embaraçoso ter a discussão com um médico ou um amigo que esteja a lidar com os mesmos desafios. Quando as suas defesas estão baixas, geralmente, eles estão mais dispostos a ouvir.

Quando todos os outros falharem, deixe-os resolver
Há momentos em que nenhuma das dicas acima funcionará. Os idosos são responsáveis pelas suas vidas e escolhas diárias. Enquanto as sugestões gentis vêm de um bom lugar, há pouco que se possa fazer sobre questões como esta. Enquanto eles ainda são competentes para tomar as suas próprias decisões, faça o que puder para obter ajuda médica, trate a pessoa com respeito e dignidade e, depois, "solte-a".

O tempo pode cuidar das coisas que se esforçou tanto para corrigir. Às vezes, quando as pessoas são deixadas sozinhas para resolver os seus problemas, elas param de resistir e enfrentam-os de frente. No entanto, se a situação for extremamente grave não deverá “abandonar”.



|Fonte: Agingcare.com|
3 comentários
partilhar facebook twitter linkedin pinterest

Autor / responsável técnico / fornecedor
Prime Senior Editor
Categorias
Bem-estar | Incontinência | Problemas | Cuidado a idosos | Cuidados | Cuidadores | Envelhecimento | Gerontologia
Para comentar deve efetuar login ou registar-se.
Comentários
Então que termos usar para não usar a palavra "fralda"?
por: Ludovina Santos

Cara Ludovina,


O termo "produtos para a incontinência" pode ser uma solução. 

por: Prime Senior Editor

Nunca tinha pensado nisso. Realmente a palavra fralda tem uma conotação negativa e bastante acriançada.
por: Irene Moreira de Castro