ENTRAR
registo | recuperar palavra-passe
x
Por favor preencha o seu email
Por favor preencha a sua password
Password e/ou email inválidos
Entrar com GOOGLE
INFORMAÇÃO
1113
CONSULTOR
86
TÉCNICO AUXILIAR
226
EQUIPAMENTO SOCIAL
1412
SERVIÇO
4731
PRODUTO
9
EVENTO
25
Cuidadores - 11 maneiras de lidar com o cuidado quando se sente desprezado
O esforço de um cuidador muitas vezes não é apreciado. Sentir-se desvalorizado quando faz muito para cuidar é um problema comum no mundo dos cuidados.

Não se sentir valorizado causa ressentimento, aumenta o stress e pode mesmo levar a depressão. Esses sentimentos são uma parte natural do cuidado e não desaparecem. O importante é aprender a lidar com os sentimentos negativos para se manter o mais saudável e feliz possível. De seguida encontram-se 11 maneiras eficazes de o fazer.


INFORMAÇÃO
PS_Cuidador


1. Entenda a razão - p
ensar sobre o motivo pelo qual a pessoa que cuida não demonstra apreço, dá uma perspetiva sobre a situação e pode facilitar o modo como lida com a mesma.

Por exemplo, caso se trate de uma pessoa idosa com doença grave ou com dor e habilidades físicas ou cognitivas em declínio, ela pode estar demasiado focada no seu próprio sofrimento. Nestes casos, é menos provável que a pessoa idosa esteja consciente dos seus sentimentos e necessidades, como cuidador. 
Pessoas idosas com demência, muitas vezes, não estão capazes de pensar além das tarefas quotidianas, outras sentem apreço, mas podem não conseguir expressá-lo adequadamente. A pessoa idosa também pode ter-se acostumado à sua rotina diária e não perceber o quanto realmente faz por ela e quanto tempo e energia dispensa para tal.

2. Faça do autocuidado uma prioridade - quando está exausto e stressado, é mais fácil que o ressentimento e a raiva se "infiltrem" e ocupem a sua mente. É por isso que o autocuidado é essencial para os cuidadores - não se trata de um prazer.

Ter tempo para si mesmo é o que o mantém mentalmente e fisicamente saudável. Ajuda a gerir o stress e os sentimentos negativos para que possa continuar a cuidar a longo curso.

3. Aprecie-se e celebre as vitórias - celebrar as suas realizações, no âmbito do cuidado, é essencial para que se valorize. A forma como sente e fala consigo mesmo tem um impacto maior do que o que qualquer outra pessoa diz.

Se os membros da família não puderem expressar a sua gratidão, talvez tenha que aceitar as limitações deles e se concentrar na autoapreciação. Pense nos bons motivos, o que levaram à escolha de ser cuidador e no quanto ajuda a pessoa idosa.

4. Recompense-se - cuidar é por natureza um trabalho ingrato. Recompensar-se é outra maneira de continuar a sentir-se positivo em relação ao bem que faz.

Uma recompensa pode ser qualquer coisa, grande ou pequena e não necessariamente bens materiais.
 
5. Use humor para pedir apreciação - às vezes é preciso informar as pessoas que gostaria de receber reconhecimento/ agradecimento. Uma boa maneira é adotar uma abordagem despreocupada e, ocasionalmente, fazer piadas usando tom de voz positivo.

Por exemplo, se a pessoa idosa elogia algo que alguém fez, pode dizer com um sorriso: "E eu? Não mereço um elogio?".

6. Não meça o seu desempenho tendo em conta o estado de saúde - a realidade é que o envelhecimento é algo natural e normal, e não pode ser estagnado. Doenças crónicas graves continuarão a piorar e como diz o velho ditado, nenhum de nós sai daqui vivo. É por isso que não é justo julgar-se a si mesmo com base na saúde ou na capacidade de recuperação da pessoa que cuida. Mesmo o cuidador mais mágico e fantástico não consegue impedir o declínio.

Não espere que a pessoa mostre melhorias, pois independentemente disso, o trabalho que desenvolve está a fazer a diferença.

7. Entenda por que os outros não demonstram apreço - família ou amigos que nunca cuidaram, nem ajudaram ninguém, podem não entender o que faz e/ou o quanto é difícil.  Algumas pessoas têm dificuldade em ter empatia se nunca experimentaram algo por si mesmas. Esta pode ser a razão para eles não apreciarem tudo o que faz.

Uma maneira de lidar com isso é partilhar mais informações. Por exemplo, envie para os membros da família um e-mail periódico a informá-lo de várias tarefas que  gere, como uma consulta médica recente, resultados de fisioterapia, obtenção de novos equipamentos médicos etc. Quando os membros da família compreendem melhor tudo o que faz, é mais provável que demonstrem apreço ou mesmo que se ofereçam para ajudar.

8. Graciosamente aceitar o obrigado e apreço - mesmo que sinta que a apreciação que lhe fazem não é suficiente, aceite-a graciosamente. Isso encoraja as pessoas a mostrarem ainda mais apreço no futuro.

9. Modele o comportamento que gostaria de ver - por vezes, a melhor maneira de obter agradecimentos é agradecer em primeiro. Se quiser que os outros demonstrem apreço por si, comece demonstrando a sua gratidão.

Se o seu idoso fizer algo de útil, por muito pouco que seja, reconheça e agradeça. Desta forma está a reforçar um comportamento positivo e a aumentar as probabilidades de eles lhe agradecerem, por algo no futuro.

10. Escolha fazer por si mesmo - é importante lembrar que tinha outras escolhas quando tomou a decisão de ser um cuidador. Pode, por vezes, não parecer que tem o controlo dessa decisão, mas tem. A prova disso é que existem alternativas para a pessoa idosa, caso opte por deixar de ser o seu cuidador.

Quando se faz a escolha de ser cuidador, é importante fazê-lo baseado nas suas próprias razões e não para apreciação ou reconhecimento de qualquer outra pessoa. Lembre-se de que escolheu fazer isso, mesmo que ninguém aprecie ou perceba o seu sacrifício e empenho.

11. Veja isso como um elogio - infelizmente, quanto mais capaz, útil e confiável for, maior a probabilidade de ser dado como garantido. Afinal, a pessoa que faz tudo e sabe exatamente o que está a fazer, não se destaca simplesmente porque não está a causar problemas. As tarefas com impacto negativo tendem a ter uma maior visibilidade que as com impacto positivo.


|Fonte: Dailycaring.com|

partilhar

Autor / responsável técnico / fornecedor
Prime Senior Editor
Categorias
Cuidado a idosos | Dependência | Envelhecimento | Cuidador informal | Cuidador formal ou profissional | Cuidador "Sanduíche" | Gerontologia | Idosos